O que é o Super Bowl e por que é tão famoso?

É dificil mensurar o que significa o Super Bowl para os americanos. O evento é um dos maiores do mundo em público e renda, batendo de frente com final da Copa do Mundo e a final da UEFA Champions League.

Aproximadamente 120 milhões de norte-americanos acompanham a final da liga de futebol americano no país, e só de intervalo as emissoras ganham milhões. A propósito, CBS, Fox, ESPN e NBC transmitem os jogos da liga, e elas pagam 5 bilhões de dólares, divididos em todos os 32 times. Sim, ninguém recebe mais que ninguém, por isso todos os anos vemos times diferentes chegando à final da NFC e AFC, com exceção do New England Patriots. Esse chega na final todos os anos.

Bom, mas a grandiosidade do evento não aconteceu assim de uma hora para outra, ele veio evoluindo do college até chegar ao profissional. Estamos aqui para contar um pouco mais sobre essa história e como funcionam as ligas dentro da NFL. Quem acompanha o esporte sabe como é apaixonante, assim como nosso futebol, o football é a paixão nacional nos EUA.

História

O termo “Super Bowl” ainda não existia, quando as universidades jogavam eles usavam o nome “Bowl” para as finais que disputavam. As ligas estudantis disputavam vários jogos e depois se juntavam pra decidir quem era o grande campeão. A origem em 1923, levava o nome de “Rose Bowl”, os dirigentes do profissional resolveram “pegar emprestado”, chamando-se o “Super Bowl”, o que seria a maior liga de todas. Desde sua criação, o termo se popularizou e se encaixou melhor do que o esperado.

Outra coisa que o caro leitor deve saber é que: NFL e Super Bowl são duas coisas distintas. A NFL (National Football League) é o campeonato de futebol americano, composto por suas duas ligas, a AFC e a NFC. O Super Bowl é a grande final da NFL, onde o campeão da conferência Americana (AFC) enfrenta o campeão da conferência Nacional (NFC). Em resumo, a NFL é o campeonato e o Super Bowl é final.

Como funciona?

Esse é um assunto que atrapalha um pouco a introdução no esporte. Além de diversas regras dentro de campo, fora dele existem algumas que deixam a cabeça do torcedor toda atrapalhada. Vamos tentar explicar de forma bastante simples.

Conforme já visto acima, a NFL é divida por duas conferências: NFC e AFC. Dentro de cada conferência existem 4 divisões com 4 times.

São elas:

Divisões da AFC

  1. East (Leste) – Buffalo Bills, Miami Dolphins, New England Patriots, New York Jets;
  2. North (Norte) – Baltimore Ravens, Cincinnati Bengals, Cleveland Browns, Pittsburgh Steelers;
  3. South (Sul) – Houston Texans, Indianapolis Colts, Jacksonville Jaguars, Tennessee Titans;
  4. West (Oeste) – Denver Broncos, Kansas City Chiefs, Oakland Raiders, San Diego Chargers.

E divisões da NFC

  1. East (Leste) – Dallas Cowboys, New York Giants, Philadelphia Eagles, Washington Redskins;
  2. North (Norte) – Chicago Bears, Detroit Lions, Green Bay Packers, Minnesota Vikings;
  3. South (Sul) – Atlanta Falcons, Carolina Panthers, New Orleans Saints, Tampa Bay Buccaneers;
  4. West (Oeste) – Arizona Cardinals, Los Angeles Rams, San Francisco 49ers, Seattle Seahawks.

Antes da bola rolar pra valer, entre agosto e setembro acontece a pré-temporada, que é onde os times testam táticas e jogadores contratados em jogos amistosos.

Após o termino da pré-temporada, entra a temporada regular, iniciando em setembro e terminando em dezembro, num total de 17 semanas. Os americanos, no american football, não contam meses, contam as semanas, por isso será muito comum você ouvi-los dizendo “primeiro jogo da semana 2 ou 3”. Nesse total de 17 semanas da temporada regular, cada time tem direito a uma semana de folga, conhecida como “bye week”.

As partidas acontecem somente em determinados dias da semana: quintas-feiras, domingos e segundas-feiras. Inclusive, por incrível que parece o “monday night football” (jogos das segundas) é, segundo os americanos, um dos melhores dias para assistir um joguinho. Talvez porque a segunda ganha um ar mais divertido.

Pois bem, as partidas são definidas da seguinte maneira:

  • Cada time joga 6 vezes contra os 3 times da mesma divisão, sendo 3 jogos em casa e 3 fora;
  • 1 jogo contra cada equipe de uma divisão da mesma conferência, sendo 2 jogos dentro de casa e 2 fora;
  • 1 jogo contra cada equipe de uma divisão da outra conferência, sendo 2 jogos dentro de casa e 2 fora;
  • 2 jogos contra equipes da mesma conferência que terminaram a temporada anterior na mesma posição dentro de sua divisão, sendo 1 jogo dentro de casa e 1 fora.

Terminada a temporada regular em dezembro, é hora dos playoffs (mata-mata) que acontece em janeiro.

Parece confuso mas não é, olha só:

  • Classificam-se os 4 melhores de cada conferência;
  • Desses 4, são eles, os melhores de cada divisão;
  • Além dos 4, mais 2 times com melhor campanha (que não ganharam) também se classificam (Wildcard).

Oh, então fica assim: 6 times de cada conferência, sendo que 4 são campeões de suas divisões e mais os dois melhores de cada conferência. Na classificação geral, será 12 times, 6 de cada conferência.

Esses 12 disputaram os playoffs, sendo que o os dois melhores de cada conferência descansam na primeira rodada, enquanto que os campeões enfrentam os times Wildcard se enfrentam logo de cara.

Tudo é decidido em jogo único, realizadas em partidas na casa do time com melhor campanha. Mas atenção, até aqui não são misturadas as conferências. Os times só se cruzaram no Super Bowl.

Por fim, os times se enfrentam no chaveamento, até chegarem à final. Os campeões das conferências disputas o Super Bowl.

Conferência Americana (AFC) ou Nacional (NFC)

  1. Campeão Norte
  2. Campeão Sul
  3. Campeão Leste
  4. Campeão Oeste
  5. Wildcard 1
  6. Wildcard 2

Jogos de Wildcard:

  • Jogo 1: Campeão x Wildcard 2
  • Jogo 2: Campeão x Wildcard 1

Semifinais de Conferência:

  • Jogo 3: Campeão Norte x Vencedor do Jogo 2
  • Jogo 4: Campeão Sul x Vencedor do Jogo 1

Finais de Conferência:

  • Final: Vencedor do Jogo 3 x Vencedor do Jogo 4

Super Bowl

  • Os vencedores das suas conferências se enfrentam na grande final.

Compreendido o futebol americano, chegou a hora de falar sobre os valores.

Muita grana

O show do intervalo do Super Bowl deixou de ser só o intervalo para aquela “água para os jogadores”. Quando as emissoras e os envolvidos viram que a audiência subia, eles aumentaram cada vez mais o valor para uma marca exibir seu comercial.

O evento acontece no primeiro domingo de fevereiro, religiosamente e, seu público no mundo todo pode alcançar a gigantesca marca de 1 bilhão de telespectadores. Por isso, para alguém aparecer na final da NFL é tão caro.

Estima-se que um comercial de apenas 30 segundos custe 5,10 milhões de dólares. O intervalo dura 30 minutos, sendo que eles são regrados ao máximo, pois conta ainda com um grande espetáculo.

Todos os anos, o intervalo do Super Bowl faz um show de minutos com algum cantor. Dentre os que já se apresentaram, a lista de celebridades conta com Michael Jackson, Lady Gaga, Katy Perry, Coldplay, Beyoncé, The Black Eyed Peace, Maron 5, Madonna, Red Hot Chilli Pepers, Paul McCartney entre outros grandes nomes.

A propósito, a audiência é tanta, que os cantores se apresentam sem cachê. Isso mesmo, hoje há uma fila para apresentação no palco mais famoso do mundo. Cantores pagam para aparecer.

Precursor

Tudo começou com bandas e fanfarras universitárias até 1980, quando 1993 ocorreu o primeiro Rose Bowl, estrelado por Michael Jackson. Inclusive, nesse primeiro show, como sabemos, tempo é ouro por lá. Porém, Michael Jackson não gostou muito de ser limitado a 15 minutos. Quando ele sobe no palco, fica parado mais de 2 minutos. O que será que rolou? Ou realmente fazia parte do show?

Show do intervalo, salários astronômicos e uma liga competitiva, tudo isso e muito mais torna a NFL o campeonato mais disputado e lucrativo do mundo.

E você, torce para algum time da NFL? Se não acompanha… acompanhe, pois vale muito a pena. O começo é um pouco complicado, entender as regras e tudo mais, mas logo você pega o jeito.