Entenda porque o Rivotril é tão perigoso para a saúde

O Rivotril está no top 10 de remédios mais vendidos do mundo todo. Os motivos são muitos, o remédio combate a ansiedade de quem é ansioso, da sono em quem tem insonia, tira o sono de quem tem sono e por aí vai. Contudo, é preciso lembrar que ele é uma droga sintética e assim como tudo na vida, o uso excessivo de algo faz mal à saúde, e não seria diferente com remédios.

O medicamento é responsável por ajudar pessoas a se concentrarem ou conter convulsões e casos de epilepsia, também. Em todo caso, devemos estar atentos aos efeitos colaterais e contraindicações, pois essa droga faz parte dos ‘tarja preta’. Consulte seu médico primeiramente e não tome nenhuma atitude precipitada. O Mundo Inverso vai mostrar os efeitos do Rivotril no cérebro, tanto benéficos quanto colaterais.

O que é o Rivotril?

O medicamento é um ANSIOLÍTICO, ou seja, é uma droga que reduz a ansiedade. Sua composição conta com uma substância chamada Clonazepam, a qual tem a função (e faz muito bem) de inibir o sistema nervoso central. Outra ação dele no nosso cérebro é o de aumentar os efeitos do neurotransmissor GABA, isso ocorre nos casos de pessoas que sofrem de insônia. Aumentando os efeitos GABA, o remédio estará causando sonolência, letargia e a redução da excitação.

O Clonazepam (Rivotril) é muito utilizado em pessoas com síndrome do pânico, ele pode ser encontrado tanto em comprimidos, gotas ou sublingual. O medicamento é controlado, podendo ser comprado somente com receita médica, pois é da classe dos ‘tarja preta’.

E você deve estar se peguntando: “como um remédio pode dar sono e tirá-lo ao mesmo tempo?”.

Pois bem, vimos acima que o Rivotril tem como principio ativo o Clonazepam. O Clonazepam é uma substância da classe dos benzodiazepínicos, esta afeta somente as regiões do cérebro que estão fora da ordem natural.

Com age no cérebro?

Medicamentos da classe dos benzodiazepínicos são responsáveis por diminuírem a atividade cerebral, casando uma leve inibição do sistema nervoso central (SNC). Leva a uma ação anticonvulsivante, sedativa, tranquilizante e relaxante muscular. Os efeitos da droga começarão a surtir efeito após 30 a 60 minutos, em média, podendo durar de 6 a 12 horas.

Para que serve?

É indicado em casos:

  • Tratamento de crises epiléticas;
  • Espasmos infantis;
  • Transtornos de ansiedade e de humor;
  • Síndromes psicóticas;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Síndrome da boca ardente;
  • Tratamento de vertigens;
  • Distúrbios do equilíbrio (adultos ou crianças).

Faz mal?

Embora possua uma grande lista de benefícios, seus efeitos colaterais também são muitos, principalmente se for usado de modo contínuo. O uso descontrolado do medicamento pode levar a dependência do mesmo, fazendo com que a pessoa utilize mais do que o necessário e recomendado pelo médico.

Os efeitos colaterais mais comuns são:

  • Ataxia ou falta de coordenação e problemas de equilíbrio;
  • Perda de interesse sexual e diminuição da libido;
  • Problemas de respiração ou infeções na garganta;
  • Visão embaçada, borrada e turva;
  • Urinar com mais frequência;
  • Mudanças no comportamento;
  • Constipação intestinal;
  • Diminuição do apetite;
  • Aumento da saliva;
  • Perda de memória;
  • Dores musculares;
  • Confusão mental;
  • Fadiga e cansaço;
  • Nervosismo;
  • Sonolência;
  • Depressão;
  • Tonturas.

E os mais graves incluem:

  • Pensamentos suícidas ou vontade de se machucar;
  • Dificuldade em respirar ou engolir alimentos;
  • Erupções cutâneas grave ou urticária;
  • Inchaço na língua, lábios ou cara;
  • Movimentos oculares involuntários;
  • Agravamento da depressão;
  • Comportamento agressivo;
  • Pensamentos suicidas;
  • Dores no peito;
  • Convulsões.

Danos

Usuários frequentes do Rivotril devem ficar atentos, pois o remédio causa muitos danos à saúde; atingir órgãos e a visão, por exemplo.

E como já dito, esse remédio não cura nada, ele é apenas um redutor de sintomas. Sendo assim, o uso a longo prazo acaba viciando o usuário e o seu sistema nervoso. Ou seja, uma hora o Rivotril vai parar de fazer efeito (usado a longo prazo).

Além disso, por ser uma droga lícita, o uso descontrolado do remédio pode causar dependência química. Existem diversos casos onde usuários do medicamento foram parar em clinicas de reabilitação, uma reportagem foi feita, inclusive.

Contraindicações

Não é para todos que o Rivotril é recomendado, mulheres gravidas, por exemplo não devem consumir o medicamento. É de extrema importância que você avise seu médico se tiver qualquer desse problemas de saúde abaixo:

  • Doenças respiratórias como asma, enfisema, bronquite;
  • Dependência química de drogas ou álcool;
  • Depressão ou pensamentos suicidas;
  • Doença renal ou hepática;
  • Problemas no fígado;
  • Doenças mentais;
  • Porfiria;
  • Glaucoma.

O uso moderado ajuda e muito as pessoas, pois não é atoa que ele é um dos medicamentos mais consumidos mundialmente, mas é sempre bom estar alerta para todos os ricos. Afinal, remédio e saúde são coisas sérias.