Descubra o que a música é capaz de fazer no cérebro humano

Por que será que somos tão apaixonados por música? Vai dizer que você não é um daqueles que adoram passar horas com o fone de ouvido? A gente ouve música para malhar, viaja com o som ligado, liga o rádio enquanto ajeitamos a casa, tem melodia para todo lado.

Ainda tem aquelas canções que quando escutamos por uma única vez parecem que nunca mais sairão da nossa cabeça. A verdade é que a cantarolamos quase que o tempo todo.

Existe alguma explicação para tudo isso?

Veja só que incrível, os cientistas, curiosos com essas coisas, resolveram pesquisar o que a música é capaz de fazer no cérebro humano. As descobertas foram incríveis. Você conhecerá cada uma delas logo mais.

Música como fonte de Prazer

música

Você já viu uma boa festa que não tinha músicas? Já parou para imaginar o que seriam das cenas românticas sem uma trilha sonora por trás delas? A sensação é de que a música deixa tudo mais completo.

E isso não é algo novo.

Os primeiro instrumentos musicais remontam a quase 50 anos atrás, quando os homens pré-históricos usavam ossos de mamute como flautas.

Isso quer dizer que já faz um bom tempo em que encontramos prazer em ritmos musicais. Apesar de reconhecermos que nos sintamos bem ouvindo canções, que muitas vezes elas servem como forma de relaxamento ou até mesmo como fonte de alegria e inspiração, a maioria de nós não sabe explicar exatamente qual a sensação provocada por essas combinações de sons e ritmos.

Como você se sente ouvindo sua canção preferida? Por que será que esta foi a música escolhida por você? Será que existe uma boa explicação para isso?

A Música e o Cérebro

música
Neon Brain

Quando você escuta uma canção, várias regiões do seu cérebro se tornam ativadas. Segundo as pesquisas realizadas até então foi demonstrado que não só áreas do hemisfério direito, considerado a porção emocional, mas também o hemisfério esquerdo, ou seja, a metade racional do cérebro humano entram em atividade através de sons musicais.

Dessa forma a música consegue induzir atos, memórias, emoções e pensamentos. É por isso que você se sente para baixo ao ouvir uma melodia triste, pelo mesmo motivo, os bailes apresentam uma playlist alto astral, já que a intenção é manter todos eufóricos e dispostos.

Um bom exemplo disso é quando você ouve uma canção que remete a um momento difícil em sua vida. As principais áreas estimuladas nesse caso são o tronco cerebral e a amígdala. Através do tronco será proporcionado um aumento na liberação de dopamina. Já a amígdala é a principal responsável por nossas emoções.

Dessa forma cada ritmo priorizará uma porção cerebral que será então a responsável pelas sensações provocadas.

Minha canção Predileta

música

Mais uma vez vamos falar sobre sua canção predileta. Não pense que você fez essa escolha voluntariamente. Já está comprovado que o estilo musical preferido tem relações com o tipo de estimulações realizadas por ele no cérebro de cada indivíduo.

Como assim?

Tudo isso começa no Núcleo Accumbens, você não precisa conhecer tudo sobre ele, apenas saiba que é uma pequena parte em seu encéfalo. Através de um equipamento de ressonância pesquisadores notaram que pessoas pagariam mais caro por canções, a medida que o estímulo deste núcleo era acrescido.

Isso quer dizer que sua canção predileta é aquela que deixa o seu Núcleo Accumbens mais ativo.

música

Nos estudos, também foi demonstrada a participação do Giro Temporal. Esta é uma região lateral do córtex cerebral que tem relação direta com o núcleo já citado. Foi demonstrado que a formação deste giro exerce influência sobre a forma como o Accumbens é estimulado.   

Pois é, o seu cérebro de certa forma já nasceu predeterminado a gostar mais de algumas músicas do que de outras.

De certa forma, você já veio com um tipo de recomendação musical a qual quando você segue, sente mais prazer.

Os Benefícios da Música

música

Além de todas as sensações despertadas, a música pode também trazer benefícios para o desenvolvimento cerebral, principalmente no período da infância.

Através do que a canção faz em nosso cérebro é possível que aja de forma a aumentar as conexões entre um hemisfério e outro, enriquecendo assim a arquitetura deste órgão.

Além disso, quem aprende a tocar instrumentos apresenta benefícios no estabelecimento da memória, na concentração, no desenvolvimento motor e se torna até mesmo uma pessoa mais sensível.

E aí? O que achou de todas essas novidades? Desde que você não exagere no volume, quanto mais música melhor. Está liberado, pode encher seu dia a dia com suas trilhas sonoras prediletas. Seu cérebro irá adorar!